Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O inicio de Pedro Martins na Cidade Berço

por P1nheir8, em 19.08.16

 

Depois de boas épocas no Marítimo e no Rio Ave, Pedro Martins chegou neste Verão à Cidade Berço, onde irá orientar o Vitória SC. As expectativas são altas para a época que se avizinha, já que o novo treinador chega com bom trabalho feito nos clubes anteriores e viu a sua nova equipa reforçar-se bem neste mercado, tendo um plantel bem acima da média daquilo que vemos na Liga NOS.

A Guimarães, chegaram neste Verão jogadores como Rúben Ferreira, João Aurélio, Rafael Miranda, Marega, Soares, Paolo Hurtado, e nas últimas horas foi confirmado também o regresso de Bernard, que tantas saudades deve ter deixado aos adeptos vimaranenses. Nas saídas, algumas de peso, como Cafú e Dalbert que seguiram para França, Otávio que voltou ao Porto e Henrique Dourado que voltou ao Brasil para o Fluminense.

O início da liga trouxe o escaldante dérbi do Minho, com o Sporting de Braga a apadrinhar a estreia de Pedro Martins no banco do Vitória SC na Liga NOS. Não foi o inicio desejado para os adeptos do Vitória, já que o Braga venceu por 1-0, beneficiando de um golo de Pedro Santos na 1ª parte do jogo.

O 11 inicial do Vitória no jogo contra o Braga

 
A equipa de Pedro Martins não fez um mau jogo, mas ainda apresenta dificuldades em vários momentos do jogo. Apresentaram-se em 1-4-4-2, com uma frente de ataque com muita gente e bem preenchida. Alguns grandes problemas que se notaram foram: o espaço entre sectores, o controlo da amplitude com o bloco a não bascular correctamente, o papel dos extremos em acções defensivas, a reacção à perda da bola, a falta de ligação entre os sectores em processo ofensivo (principalmente entre médios e avançados) e falta de criatividade nos processos de jogo, com ninguém a pensar um pouco fora da caixa e arranjar outro tipo de soluções.

A dupla de médios centro (Rafael Miranda e João Pedro), mostrou-se muito capaz, mas defensivamente tiveram dificuldades, já que o espaço que precisavam de fechar era muito e não o conseguiam fazer sempre de forma eficaz. A equipa esteve muitas vezes com 4 jogadores da frente completamente colados à linha defensiva adversária, o que tornava muitas vezes impossível ligar os sectores, sem ser com o passe longo, procurando a profundidade, que era o movimento mais usado. Para combater a falta de ligação entre os sectores, Pedro Martins mexeu muitas vezes no posicionamento de Marega, Ricardo Valente e Hurtado, sendo que com Hurtado nas costas de Soares começou a existir melhor ligação, já que o jogador peruano baixava mais para fazer movimentos de apoio e não estava sempre colado à linha defensiva contrária.

Já mostram um bom entendimento no que devem fazer os 4 defesas, mas ainda precisam de melhorar a forma como controlam a profundidade e perceber os estímulos para subir o bloco defensivo. Há boa ligação entre os defesas e os médios centro na 1ª fase de construção, e mesmo que os centrais não coloquem a bola nos apoios, as linhas de passe estão lá. Os laterais tentam ajudar muito em tarefas ofensivas, mas é preciso perceber que espaços ocupar, já que muitas vezes estão na mesma linha que os extremos, não existindo complementaridade, ou estavam demasiado longe da bola, assim como os extremos, faltando depois forma da bola lá chegar.

Com a vinda de Bernard, a equipa vimaranense vai ganhar duas coisas que tanto faltaram neste jogo: criatividade e forte reacção à perda da bola. Será um jogador que tentará fazer esquecer Otávio, embora com um perfil um pouco diferente. Soares, jogador em foco neste jogo pela grande penalidade falhada, é um avançado com uma qualidade bem acima da média do nosso campeonato, e que creio que irá corresponder durante a época aquilo que os adeptos esperam dele. Nota ainda para João Pedro, jogador que neste jogo demonstrou enorme qualidade, com um perfil de médio centro extremamente interessante e que a continuar com esta bitola, vai ser certamente uma das revelações desta Liga. Depois de várias épocas na equipa B e onde pouco jogou na equipa A, parece que o treinador acredita nele. E pelo que se viu no dérbi, tem certamente razões para o fazer.

Vamos ver como evolui a estadia de Pedro Martins em Guimarães. O plantel formado é muito interessante para o nosso campeonato, faltando agora perceber o que o treinador português irá conseguir fazer com ele e que dinâmicas criar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

*http://www.proscout.pt/o-inicio-de-pedro-martins-na-cidade-berco/ 

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

De Gonçalo a 20.08.2016 às 19:06

Não achas que o facto do Guimarães meter só 1 jogador atrás da primeira linha de pressão dificulta esse trabalho por vezes? E falas do Bernard ir acrescentar criatividade, o que é criatividade? Como posso ver num jogo de futebol que um jogador é criativo?

De P1nheir8 a 26.08.2016 às 17:58

Acho que o principal problema na parte da pressão é que a primeira linha não funcionou de forma muito adequada e isso dificultava depois a vida aos restantes jogadores, já que a bola aparecia ali demasiadas vezes e com espaço. Ser criativo é ver soluções que os outros não conseguem ver, é arranjar a qualquer momento algo diferenciado dos restantes, quer ao nível do passe, do drible, etc.

Comentar post



Bola na rede


Contacte-nos por e-mail